terça-feira, dezembro 28, 2004

Burgessos da Rapaqueca - Semana VII

by Toni Burgesso

Camaradas, lá se passou o Natal, aquela noite de paz e amor em que as famílias ficam em casa, o que no caso da família Loureiro até é bom, sempre não arranjam problemas com o tribunal! Eh eh!

Os defesas do Sporting que saboreiem bem o bacalhau, esse conterrâneo do Karadas, porque cheira-me que acabam o 2004 a comer um da Noruega, e começam o 2005 a serem comidos por um norueguês! Eh eh eh!

Como prenda de natal, a minha Isilda deu-me um daqueles bonecos que gritam quando o Benfica marca golo. Eu ao princípio achei estranho aquilo vir sem pilhas, mas depois a minha Isilda lá me explicou que, da maneira como o Benfas anda a jogar, o boneco não vai gritar tão cedo!

É uma poupada, a minha mulher!

O meu cunhado também recebeu um do Sporting, mas com dois jogos de 4 pilhas! Vá-se lá saber porquê… mesmo assim a minha Isilda foi poupada, porque mandou uma carta para o Liedson a dizer que o anafado avançado era responsável por 36% dos golos lagartos, logo estava-lhe a dever 3 pilhas alcalinas!

O meu puto recebeu um jogo de futebol para a consola. Eh pá, o raio dos bonecos parecem cada vez mais reais.

Eu às tantas até disse ao puto: “Eh lá, isso até se confunde com um jogo de futebol a sério!”, mas o espertinho respondeu logo “Alguma vez? Então tu não vês o Paulo Almeida a correr? Isso vê-se logo que é tanga!”

Parvo do miúdo já anda a aprender piadinhas com a mãe.

Quem recebeu um presente de Natal envenenado foi o Beira-Mar. O treinador checo que ainda agora tinha sido contratado afinal deu de frosques. É caso para dizer que o Pai Natal passou-lhes um checo sem cobertura! Eh eh!

O Burgesso, que até é um gajo que conhece aí os meandros das estrelas da bola, teve acesso a alguns pedidos que a malta que anda no mundo da bola fez ao Pai Natal, e lança aqui a lista:

O que eu pedi ao Pai Natal…

Simão Sabrosa Um livro de penteados

Argel Uma boneca insuflável com cabelo branco p’ra eu beijar!

Trappatoni Jogadores (menos um tal de Roger de que os jornalistas falam muito e eu não sei quem é)

José Veiga Um dicionário de língua portuguesa

McCarthy Um bilhete para sair do Porto

Carlos Alberto Dar o meu bilhete ao McCarthy

Quaresma Um anel para o dedo mindinho

Fernandez Este año ya ganhê dós Copas, más do que merieço, portianto no prieciso de niada en lo Natialê!

Pinto da Costa Eu num me dou cum giente que equipa de bermelho, carago.

Esse mouro que num se atreba a passar nas chaminés do Puorto que eu tenho um Super Dragon em cada casa p’ra lhe dar no focinho!

Carolina Salgado O mesmo que peço aos outros, não há cá descontos!

Pedro Barbosa Uma caixa de croissants

Rochemback Uma caixa de supositórios p’ra dar p’ro Peseiro (ele já sabe onde os tomar que eu lhe disse)

José Peseiro Um cubo de actividades para eu perceber como é que encaixo o Tinga no losango

Dias da Cunha Eu não pactuo com essa gente! O Natal é um sistema com duas faces: o Pai Natal e o Menino Jesus. E o Sporting, como sempre, vai lutar contra o sistema até descobrir algum ponto nele que dê para aproveitar.

Família Loureiro O nº de telefone da Fátima Felgueiras

Oleg. Benquerença Um par de óculos lente “fundo de copo de três”

Jacinto Paixão Gajas

Com tanto pedido acho que o Pai Natal vai fazer como o Bagão e dizer à malta: “Usem mas é esse dinheiro das prendas para pagar ao Fisco!” Eh eh eh!

Entretanto está aí a chegar o 2005, que em termos futeboleiros vai começar com o grande derby Sporting – Pampilhosa da Serra. Para quem acha que estou a gozar lembro que o Pampilhosa é da III divisão, a mesma da AD Oliveirense. Logo, é um digno substituto do Benfica! Eh eh!

Mas sobre o 2005 falamos depois! Agora é hora de preparar a garrafita de espumante, e comprar pilhas ao boneco, que eu estou cá com uma fé que 2005 vai ser vermelho! Eh!

Até para o ano, gente da bola, que é como quem diz, até para a semana!


CGA