segunda-feira, fevereiro 07, 2005

Burgessos da rapaqueca - semana XIII


Liga dos Cavalheiros Extra Ordinários

Está visto que os burgessos andam armados em cavalheiros: o raio dos clubes parece que estão numa porta de entrada para o primeiro lugar a dizer uns aos outros:

- Passe, amigo.

- Ó amigo, depois de si.

- Ora essa, por quem é… Passe passe.

- Qual quê, não seja tolo.

Só espero que o Boavista não ganhe ao Setúbal, para o Benfica não ser líder.

É que, pelo andar da carruagem, quem ficar na frente é certo que para a semana leva na pinha!

Nesta altura carnavalesca, a Madeira e o continente decidiram trocar de cabeçudos: eles mandaram o Alberto João Jardim para Castelo Branco, e nós mandámos-lhe o Sporting!

O mais engraçado é que, mesmo sendo muito cabeçudos, o Marítimo conseguiu enfiar-lhes um Barreto.

Os treinadores lagartos disseram antes do jogo que era altura de dizer “Basta!” e os sócios são gente para levar o aviso à letra e ir para os treinos dizer “Basta, Peseiro! Vai para casa!” Eh eh eh!

O Liedson é que não resolve puto na Madeira. Como diria o João Pinto do FêCêPê, “o homem só resolve jogos em Portugal.”

Mas eu acho que ele é o menos culpado de todos. É que o anafado goleador vai tantas vezes ao Brasil que cada vez que apanha um avião entra no modo “Estou de férias”!

Quem não ajudou tanto à festa como os lagartos foi o Yannick.

O terceiro guarda-redes do Glorioso mostrou que deve ser para aí o jogador mais inútil para o Benfica dos últimos tempos, a par do Thomas e do Paulo Almeida.

Que grande frango, ó careca!

O Baía, por outro lado, provou que é para aí um dos melhores guarda-redes do Mundo. Aquele truque de defender a bola para a trave só estava ao alcance do já mítico Preud’Homme.

O Estoril só conseguiu marcar de penalti, e a culpa foi do Couceiro.

É que o novo treinador portista deve ter avisado os jogadores que não queria agressões, porque não se deve acertar no adversário mas sim no esférico.

Vai daí, o Costinha afiambrou uma cotovelada na bola! Eh eh!

Pronto, sempre deu menos trabalho à Comissão Disciplinar da Liga.

Além do Marítimo, quem também deu 3-0 a uns pobres coitados foi o Benfas.

O Nelo Vingada achou que 3 golos eram muita fruta, mas cá para mim os defesas da Académica fizeram de propósito: quiseram manter o estatuto de “Equipa que sofre tantos golos fora de casa como o Sporting”!

O simpático treinador da Académica disse que a partir do terceiro golo o Benfica baixou e a Académica atacou, e isso é uma boa ilação a retirar. Eu até já estou a ver as dicas do Vingada no próximo jogo:

“Malta, isto é enfardar três golos o mais depressa possível, para termos mais tempo de explanar o nosso futebol!”

Ou seja, o Vingada ainda guarda ensinamentos tácticos do tempo em que era adjunto do Graeme Souness! Eh eh!

(Para quem não se lembra, o Souness era aquele treinador benfiquista que tinha uma especial admiração pelos testículos do Thomas)


Se marcar 3 é porreiro, o Quim não sofrer golos é de uma pessoa ficar de cara à banda. Mas comecem-se a habituar, malta: já é a segunda vez que isso acontece este ano!

O Hugo Leal é que, apesar de ter perdido, deve ter ficado com o ego inchado.

O homem conseguiu ouvir mais assobios e piropos na Luz do que a Marisa Cruz ouve no Bessa!

Só faltava os adeptos benfiquistas cantarem como aqueles tipos do programa do Herman: “És-tão-bo-a! És-tão boo-a!”

Coitadinho do Hugo Leal, pá: Saiu do Benfica porque não queria receber ordenados atrasados, e vai para a Académica, onde nem sequer tem prémios de jogo! Eh eh!

Os homens perdem tudo, com a breca!

Em termos de mercado, o Benfica, ao que parece, vai tentar contratar o João Alves do Braga para a próxima época.

Eu cá digo que se é para ter outro “luvas pretas”, não gastem dinheiro à toa, amigos: metam o Mantorras em campo!

Cambada de bichos, é o que é!

Inté!