sábado, abril 30, 2005

O tuga charrado no Dubai

Um cidadão português está preso no Dubai por ter dado duas passas e acusado haxixe na urina.
http://jn.sapo.pt/2005/04/29/ultima/portugues_arriscase_a_cinco_anos_pri.html

Há quem diga que a culpa aqui é da diplomacia portuguesa, e eu concordo plenamente.
Se houvesse interesse diplomático, já alguém tinha explicado aos àrabes que o rapaz e o amigo estavam a ter ideias para um filme sobre o pós-25 de Abril e provavelmente queriam imiscuir-se no pensamento da juventude esquerdista contemporânea.

Ora o melhor combustível para o cérebro funcionar "à Bloco de Esquerda" é a ganza.
Isto é básico, pá.

Para quem ainda acha que isto só acontece aos outros, saibam que por pouco não tivemos casos desses no nosso país.
Segundo informações privilegiadas, Paulo Portas já teria tentado passar semelhante legislação para Portugal, como forma de aprisionar o Francisco Louçã e todos os trotskistas “anti-democratas cristãos”.
O problema foi o Santana Lopes não ter achado piada à ideia, porque não era boa para a imagem do governo.
Um empregado de mesa brasileiro jura inclusive que o ouviu dizer num almoço:
“Ó Paulo, essa ideia é muito gira e tal, mas depois a polícia tem de prender metade da Festa do Avante e isso cheira um bocado a PIDE e perseguição aos comunas, pá!”

Agora imagine o(a) caro(a) leitor(a) que isto ia para a frente. Ora eu pergunto:

1. Faz sentido alguém ver um tipo na rua a fazer um charro e gritar "Agarra que ele 'tá a enrolar papel!"?

2. Faz sentido a polícia apanhar um tipo “com a moca” e gritar “Diz-me nomes já!”?
Ora a esta respondo eu próprio dizendo que não, porque depois a polícia vai perder tempo a procurar na sua base de dados para perceber que, afinal, não existem traficantes chamados “Bob Marley” “Ché Guevara” e “Babar, o Elefante Azul”

Ora então a minha posição é: De joelhos, e depois ela fica de gatas à frente, e abre... estou a brincar.

A minha posição neste assunto é: Essas investigações todas fazem sentido para os asiáticos, porque lá os tipos andam sempre com os olhos fechados e falam esquisito, de maneira que uma pessoa nunca sabe se aquilo é álcool, droga ou herança genética.

E tenho dito.

CGA