sexta-feira, junho 24, 2005

Cambada de drogados!

Que todos tínhamos cá dentro um religioso já eu sabia. Basta a situação ficar preta que toda a gente diz “Ai, meu Deus!”.
Quem não diz quando está preta, diz quando está “orgásmica”. É instintivo.


Agora descobri que o subconsciente da dor é um tipo devoto, mas planta cannabis no quintal.
Ok, com quase dois anos de atraso, mas descobri.

Andava eu a pensar que o meu subconsciente era de Direita, e está visto que tenho cá dentro um esquizofrénico em potência, capaz de ir à Missa de manhã e acabar a noite num comício do Bloco de Esquerda.

Pessoalmente, assumo a minha condição de prevaricador, mormente quando vou tirar sangue.
Caro leitor, se a quantidade do princípio activo da cannabis produzida for proporcional à dor e ao stress, cada vez que a senhora enfermeira me espeta o metal pontiagudo na veia os meus neurónios pensam que chegaram a Marraquexe.

Agora sim, percebo porque é que inclino a cabeça para trás e as pessoas me dizem: “Está tão branco!”.

Não é da dor, é da moca.

Como pai, surge-me aqui um problema grave: por um lado não quero que o puto se meta na droga, por outro às vezes dá vontade de lhe dar um palmadão na fralda.
Ou seja, quando o garoto faz asneira, em vez de lhe estar a dar uma “galheta pedagógica”, estou como que a dizer “Vá, toma lá a tua dose a ver se te acalmas”.

As autoridades policiais é que ainda não devem saber do facto, senão acabavam logo com a criminalidade grupal.
Na dúvida sobre quem fosse o autor dos desacatos, era afinfar porrada em todos e prendê-los por produção endógena de estupefacientes.


CGA

2 Comments:

Blogger Machadix said...

Meus caros, vou linkar-vos...

2:01 da tarde  
Blogger Toni burgesso said...

E estamos muito bem linkados sim senhor! Parabéns, bom blog!

11:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home